Tratamentos

Incontinência urinária masculina

No homem é freqüente a incontinência urinária após a ressecção transuretral da próstata (RTU) e a prostatectomia radical. A freqüência da incontinência urinária varia dependendo do tipo de cirurgia e da técnica cirúrgica. Alguns pacientes melhoram espontaneamente dos sintomas, entretanto, alguns permanecem com incontinência urinária. Se acredita que até 40% dos homens possam ficar incontinentes após a cirurgia para o câncer de próstata.

A incontinência após prostatectomia é uma complicação de difícil tratamento que causa um profundo impacto negativo na qualidade de vida do indívíduo, gerando dificuldades psicológicas como ansiedade, insônia e depressão, além de complicações como infecção recorrente do trato urinário, dermatites, constrangimento, afetando profundamente a autoestima do indivíduo.

O tratamento recomendado para incontinência urinária após prostatectomia é fisioterapêutico e inclui o treino da musculatura do assoalho pélvico; o uso do “biofeedback”; a eletroestimulação funcional dos músculos do assoalho pélvico. O tratamento conservador deve ser combinado com alterações e modificações do estilo de vida, como a diminuição ou eliminação da cafeína e do fumo e exercícios físicos.