Tratamentos

Preparo pré e pós-parto

Na gravidez, os músculos do assoalho pélvico tendem a ficar mais enfraquecidos, alongados e sobrecarregados devido aos efeitos dos hormônios e do aumento da pressão abdominal. O alongamento muscular é positivo pois prepara a pelve para o parto normal. Porém, o enfraquecimento muscular pode facilitar o aparecimento de disfunções do assoalho pélvico como a incontinência urinária.

É recomendado as todas as gestantes, independente da via de parto (normal ou cesárea) que realizem exercícios para os músculos do assoalho pélvico para prevenir, tratar e aumentar a percepção sobre essa região.

A forma como a gestante deve realizar os exercícios depende de como sua musculatura se encontra em relação ao tônus, força, resistência, controle e coordenação. Portanto, os exercícios devem ser prescritos individualmente, de acordo com o diagnóstico muscular feito pela fisioterapeuta pélvica. A avaliação da musculatura é realizada por exame físico (inspeção e palpação vaginal) e por meio de aparelho de biofeedback EMG.

Os exercícios são importantes para qualquer gestante, independente da via de parto, até o final da gestação. A tendência natural da musculatura ao longo do período gestacional é enfraquecer, mas, com os exercícios, é possível manter as funções musculares ou melhorá-las. Para isso, é fundamental a supervisão e reavaliação periódica pela fisioterapeuta que, após a avaliação, irá sugerir atendimentos semanais, quinzenais ou mensais de acordo com as necessidades individuais e com a evolução.

Os exercícios podem facilitar o parto, pois trabalham o controle de contração e relaxamento muscular e aumentam a percepção sobre a região.

 Para preparar o períneo para o parto pode ser realizada a massagem perineal pela gestante, seu parceiro e/ou pela fisioterapeuta com o objetivo de alongar a musculatura na tentativa de prevenir lesões.  Realizamos o treino de coordenação para expulsar, que será útil no momento do nascimento do bebê. Muitas mulheres já sabem naturalmente realizar o movimento de expulsão, mas outras têm dificuldade.

Após o nascimento do bebê, independente da via de parto, devem ser reiniciados os exercícios para os músculos do assoalho pélvico. É recomendável uma reavaliação muscular com palpação vaginal em torno de 30 a 40 dias após o parto, quando o fisioterapeuta irá orientar sobre os cuidados com o assoalho pélvico nesse período.